segunda-feira, 6 de julho de 2015

Esquizofrenia




Móveis quebrados
Geladeira revirada
Parede riscada a faca
A mãe sangrando na boca
A polícia imobiliza
O menino
Olhos esbugalhados
Confuso
Ele com o olhar busca
O socorro da mãe
Ela não reage, aterrada
Ele parece retornando
De um transe
Não entende
Estou doente, mãe?
Estou doente?
Quer saber
Ela não diz nada
O coração espetado
De mil espinhos
Ele chora
Ela não, já seca
Vinte anos mais velha
Do que a horas atrás


Nenhum comentário:

Postar um comentário